Comida Chinesa

A fascinação da China por comida vem da antiga adoração de deuses e espíritos, quando os imperadores eram levados aos templos ou aos picos sagrados para pedir boas colheitas.

Para os chineses, comer não é apenas uma atividade social e corriqueira, mas a base da sua cultura.

O princípio do yin e yang se aplica também à culinária. No preparo dos pratos é importante sempre buscar o equilíbrio entre temperatura, sabor, aroma, cor, textura, consistência. Na mesa dos chineses costumam aparecer verduras, sopas, pastas ou pães, aves, peixes, frutos do mar ou carnes cozidas em diferentes técnicas.

Um prato deve ser doce (yin) e o outro salgado (yang); um quente (yang) e o outro frio (yin); um macio (yin) e outro crocante (yang). Os chineses acreditam que o equilíbrio entre esses dois elementos garante não apenas uma boa refeição, mas uma boa saúde.

Além do yin e yang, existe o conceito dos cinco elementos. Os chineses acreditam que estamos cercados por cinco campos de energia: madeira, fogo, metal, terra e água. Na culinária, esses elementos são representados pelos cinco sabores: azedo (madeira), amargo (fogo), picante (metal), doce (terra) e salgado (água). Eles acreditam inclusive, que o desequilíbrio entre esses elementos pode levar ao desenvolvimento de doenças.

Por considerarem importante a variedade de alimentos, uma refeição chinesa conta em seu preparo com alimentos de diversos grupos como carne, cereais, hortaliças, etc. Devido a sua grande extensão territorial, os hábitos e costumes alimentares variam de acordo com a região. Nas províncias centrais e do norte a comida costuma ser bem apimentada. No sul do país é comum comer gatos, cães e outros animais. Já no oeste e norte, a comida é mais simples, como macarrão e bolinhos feitos de farinha de trigo.

Inclusive o macarrão é um alimento muito popular na China e encontrado em grande variedade, achatado ou fino, feitos com farinha de trigo ou arroz.

Fonte: Mais Equilíbrio